Aos queridos padrinhos, com amor.   12 comments

Era uma vez…uma mulher, um homem, muitos gatos, família e amigos. Não sabemos até hoje o que levou exatamente a escolha dos dindos…mas com certeza, o coração falou muito alto. Coração de noivos fala, vocês sabiam? Fala de entrega, de amor, de cumplicidade, de carinho, de mãos que se dão em momentos difíceis e de afinidade, claro, também. O coração dos noivos fala dos momentos de alegria, do churrasco, de tristeza das festas e gargalhadas, mas também fala do aperto em horas difíceis, com essas pessoas. Não se contabilizaram números de encontros, tempo. Só momentos. Momentos especiais de entrega. Essa entrega só pode ser embalada pela amizade, ainda que muitos sejam irmãos nesta vida, muitos amigos hoje são irmãos para nós, tamanha relação que estabelecemos. Na verdade, não sabemos quanto tempo teremos de casamento, não sabemos muitas coisas dessa vida, mas queremos que seja muito tempo. E aconteça o que acontecer, vocês sempre serão nossos dindos. Queridos, amados, para sempre. Isso não vai mudar nunca. Momento congelado no tempo do dia 09 de outubro de 2010. Ele é único. Acreditem. E vocês fazem parte dele, agora, PARA SEMPRE.

Anelore, Ane. Amiga da tristeza e da alegria. Se você precisar dela para organizar alguma coisa na sua vida, chame essa amiga. Ela pode se atrasar, porque às vezes erra o caminho, muda o endereço, manda o e-mail errado hehehehe MAS SEMPRE CHEGA LÁ.

Mexi, Mexicano, Carlos Carreiro. Mais de um nome. Mas o caráter é único. Alegre, verdadeiro, autêntico, amigo! Na verdade, tá mais pra Che Guevara. Tem seus mistérios... Começa falando sério, ENVOLVE A GENTE... E TERMINA NUM SORRISO SAFADO. PERSPICAZ!

Cadu, Carlos Eduardo. Rosemari, Rose. Corda e caçamba. Romeu e Julieta. Sr. E Sra. Smith. Os próprios, poderosos. Fofos: eles são os melhores pais de gatinhos que nós conhecemos. Hãhãhãhã. Músculos, tatuagens. Putz, QUE PADRINHOS SUPER-HERÓIS QUE NÓS TEMOS, HEIN?

Lucizinha, Lu, Luci. Legal, legal. Irmã da noiva (agora dele também-que bandalhada!) provável dessa e outras existências. Louquinha mas perfeita irmã. ELA SEMPRE FAZ LEMBRAR QUEM A GENTE É. Doa o quanto doer. E às vezes dói o que ela fala...mas é amor de muitas vidas, nunca dói mais que todo o amor que ela tem para dar....

Talitá, Talita. Danilo, Nilo. Ele era bom, sempre foi. Honesto, trabalhador...e agora FICOU MELHOR AINDA COM ELA . O sorriso agora faz parte da vida dele muito mais, porque ELA É ALEGRIA EM PESSOA. Eles andam sempre nas alturas...hehehe vêem tudo de cima, mas nunca esquecem quem está em baixo!

Jairton, Ito. Isaurinha, Isa. Ela - Chorona, gritona e muuuiiiitoooo mãezona. Mata pelos seus, mas morre pelo dos outros também. SE DOA PARA TODOS, TAMANHO CORAÇÃO QUE TEM! Ele – músculos, muito Dalai Lama, muito budismo e MUITO SOM NA CAIXA, DJ ITO !!!!Homem de muitas potencialidades!

Ana Paula, Aninha, Ana. No words. Perfect. Inteligente, Equilibrada, nossa, ela também se perde no caminho igual a outra madrinha, mas sempre chega!!!! Faz justiça sempre. Mas não é só porque é advogada, O CORAÇÃO É GRANDE DEMAIS PARA ACEITAR INJUSTIÇAS!

Manu, Florzinha, Manuela. Como não poderia ser a florzinha nossa aia...Sapeca, cabelos cacheados, amor-um pouco de medo pelo tio Dodo e mimos para titia emília...!

Publicado 26/09/2010 por danemi em Sem categoria

Aos nossos familiares e amigos queridos   5 comments

Impossível tudo isso sem vocês… O que? Casamento sem amigos? Sem família? No way! Quem vai olhar o enfeite do bolo para dizer, “é, realmente, são eles mesmos…”, sem nos conhecer? Quem vai guardar as lembrancinhas com carinho (ainda que ela não dure tanto assim…) e saber bem quem são eles e que momentos e histórias antes do casamento existiram? Identidade. Amigos e família nos conferem I-DEN-TI-DA-DE. Eles sempre lembram quem somos, o quanto mudamos e quanto melhoramos. Às vezes, alguns adoram lembrar nossos defeitinhos também… tudo bem, faz parte…A vida é feita de todos os momentos. Se queremos o bolo todo, porque comer só o recheio, não é mesmo? E como é lindo viver. É por isso que casamos. Amamos cada minuto de entregar convites, falar ao telefone, sorrir para vocês. Este casamento não é nosso, é uma festa linda preparada com amor e carinho para quem amamos, vocês!

Tantos jeitos diferentes. Tanto carinho!

Publicado 26/09/2010 por danemi em Sem categoria

O Sapato da Noiva   4 comments

Era um sapato que não existia. A madrinha tentou ajudar, mas

Parece tão inocente...

os lugares que ela indicou não tinham o sapato. Os lugares do planeta inteiro pareciam não ter nada parecido. Não havia cor, nem tamanho, nem textura adequada. Sabe aquela história da casa muito engraçada, sem teto nem nada? Pois é… Igual. O problema é a noiva. Pé infeliz. Pequeno, delicadamente problemático, sensível, cria bolha por nada, terrível. Aquela cor não tinha. Aquele tamanho não tinha também. Seres normais não tinham o pé assim. Talvez nem a noiva-cadáver tenha tido tanta dificuldade em achar um sapato para ela. Talvez o melhor fosse um sapato do além mesmo. Além túmulo. Além cor. Além cartão de crédito. Além paciência do noivo (que já estava desistindo do casamento por causa do sapato, quase se divorciando antes de casar). Mas….o sapato foi só mais uma prova…de amor. Não podia ser qualquer um. Tinha que ser um que ELE gostasse também. E um que não machucasse, que não deixasse o pé feio, que não fizesse folga, que não escorregasse. Resolve: arranca os pés da noiva ou… MATA ela. Mas aí não tem casamento. E a festa? E os votos? E os sorrisos, as alegrias, o carinho….? No final, o amor venceu. Ele ajudou ela a achar o sapato. E todos ficaram felizes porque ela conseguiria caminhar até o altar para os braços dele.

Publicado 26/09/2010 por danemi em Sem categoria

Sobre… a lua-de-mel!   4 comments

Isla Negra

Nosso destino:

Santiago

Santiago

Valparaíso

Vale Nevado

Viña del Mar

Publicado 19/09/2010 por danemi em Sem categoria

Você ainda não conhece esta história?Leia aqui…   7 comments

mulher dos gatos e cara do computador

Aqui você vai relembrar como este casal se conheceu e talvez você se reconheça nessa história contada por eles. Dê sua opinião, deixe comentário e diga sua versão dos fatos, se for o caso.

Era uma vez uma mulher e dois gatos. E… um homem no computador. Também havia uma mulher no computador aborrecida com o chefe procurando amigas para sair daquele tédio. Ela não achou, mas foi achada por ele. De onda, marcou um encontro em um museu, em um lugar que não existia. O homem atrás do computador era persistente, achou-a mesmo assim. Por que? Oras, porque essas histórias são assim… Ela gostou dele, mas não conhecia aquela criatura direito e ele podia ser um psicopata, serial killer. Ela não tinha mais pais que pudessem defendê-la e então ela pensou em se proteger. Algo dizia que ele era bom, mas, por precaução ela começou a dizer coisas do tipo “minha irmã que mora comigo bate nas pessoas às vezes…”

Mas aqueles olhos eram tão sinceros…Ela se apaixonou por eles. Em geral, o casal era diferente, e às vezes, ela não entendia muito o que ele dizia, ele falava muuuuito baixo. E o pior, mais tarde ela conheceu o pai dele que falava mais baixo ainda. Mas ela se acostumou. Por que? Porque essas coisas são assim…

Os amigos dela eram ecléticos o bastante, e para ele os lugares que iam eram muito diferentes, tipo casa do estudante, sabe?

Ela não morava sozinha, tinha dois gatos e os dois eram loucos, um odiava ele e a outra tinha medo e era bulímica. Mas ele se acostumou, porque essas coisas são assim…

Ela tinha uma mãe-irmã muito sábia e querida que assim que conheceu ele falou que todas as mulheres da família mandavam nos homens e ele disse que já sabia disso…

Ela conheceu a família dele e a Grand mama , muito bonita e exuberante que também tinha outros dois filhos, o aviador e a psicóloga. E ambos eram absolutamente normais. Eles não ferviam alface como ele, para se livrarem das bactérias…mas ele fazia isso. Ela conheceu o outro irmão, muito querido, mas sempre aconteciam coisas estranhas quando estavam juntos. Objetos sumiam, vozes apareciam do nada, e um dia, vendo um filme de terror, um objeto não identificado foi materializado na sala. Mas nunca foi encontrado também… Ainda bem que ele tem uma esposa bem normal que orienta e cuida muito dele.

Aí ela conheceu o pai dele e descobriu que também aconteciam coisas sinistras com ele, como tomar choque na chopeira elétrica, sofrer acidentes o tempo todo com copos que quebram sem parar e sempre perto dele. Mas ele sempre foi muito legal.

As outras irmãs dela gostavam muito dele e eram chamadas carinhosamente por ele de Pragona (a menor que é a maior), Praguinha (aquela que vive dizendo “que bandalhada”) e a praguentinha (que é a linda sobrinha dela que ele adora torturar. E a pobre inocente adora ser torturada por ele.) Mas ele sempre diz que a maior praga mesmo da vida dele é ela. Eles convivem bem , porque você já sabe que essas coisas são assim.

Um dia, o gato dela se quebrou todo e ela avisou para todos os amigos que estava triste porque seu gatinho tinha se machucado…Todos ficaram preocupados. E as pessoas começaram a contar para muitas pessoas da faculdade, da rua, da cidade. Muito mais preocupados ficaram quando ela disse que o gatinho dela ia ter que fazer uma cirurgia para tirar o rabo – e aí sim… estava feita a confusão. Achavam que “o gatinho” era seu namorado. Como um homem daquele tamanho faria para viver sem um rabo? Depois de tudo esclarecido vieram muitas aventuras… Eles sequestraram um gatinho lindo (essa história está no blog com o nome “Ele não gostava de gatos”). Ah, e teve um dia que os morcegos invadiram a casa deles, bom essa foi terrível – ele se equipou com uma toalha na cabeça e um cabo de vassoura e gritava…Vamos matar o Batman!!! Ela ficou trancada no banheiro com medo que os vizinhos chamassem a polícia por causa da gritaria.

Os dias foram passando, e todos os dias de manhã, eles acordam e quando abrem a porta do quarto há sempre três gatinhos esperando por eles.

Bem, hoje o homem do computador não vive mais sem seus gatos. E acreditem, os gatos parecem gostar mais dele do que dela. Ela não vive sem ELE. Ele não vive mais sem ELA. Família esquisita essa… Rotina mais ainda… Sabe por quê? Nãããããão. Não é porque as coisas são assim, Pedro Bó. As coisas são assim porque tem muito amor nessa história e isso que faz valer tudo muito a pena.

Publicado 16/09/2010 por danemi em Sem categoria

Cara de felicidade…!   4 comments

Casal DANEMI

Publicado 13/09/2010 por danemi em Sem categoria

Essas coisas são assim…O porquê de tudo.   3 comments

Sonho real!

“Amo-te sem saber como,

nem quando, nem onde, amo-te

simplesmente sem problemas nem

orgulho: amo-te assim porque não sei

amar de outra maneira.”

Publicado 04/09/2010 por danemi em Sem categoria